Mais da metade das passagens aéreas de 2016 custaram menos de R$ 300

No primeiro semestre, valor médio dos voos domésticos foi de R$ 349, e no segundo, de R$ 372. Preços são inferiores aos de 2015


Geral - 21/04/2017
Valores superiores a R$ 1,5 mil corresponderam a 0,5% do total
Valores superiores a R$ 1,5 mil corresponderam a 0,5% do total - Créditos: Infraero/Divulgação
     Em 2016, mais de 50% dos voos domésticos custaram menos de R$ 300. Valores inferiores a R$ 100 corresponderam a 7,7% do total, e os superiores, a R$ 1,5 mil, a 0,5% de todas as passagens vendidas no País.
    Os dados constam do Relatório de Tarifas Aéreas Domésticas, divulgado nesta quinta-feira (20) pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).
    De janeiro a dezembro, a tarifa aérea média doméstica real, em valores atualizados pelo IPCA em dezembro de 2016, foi de R$ 349,14, valor 1,8% inferior à tarifa média praticada em 2015. Por sua vez, os preços praticados entre julho e dezembro foi de R$ 372,37, isto é, um valor 4,1% menor do que o valor verificado no segundo semestre de 2015.
    A unidade da Federação com maior Tarifa Aérea Doméstica Média Real foi Rondônia, com R$ 567,03. Já o estado do Espírito Santo apresentou o menor valor em Tarifa Aérea Média, da ordem de R$ 277,04.
    No consolidado de 2016, o valor do Yield Tarifa Aérea Médio Doméstico Real (valor pago por km voado) foi de R$ 0,3084, com redução de 4,1% em relação ao ano anterior.No segundo semestre de 2016, o valor foi de R$ 0,3245, uma baixa de 8,5% em comparação ao mesmo período de 2015.
    No âmbito regional, houve, em geral, queda no valor do yield quando comparados os valores anuais de 2016 com os de 2015. O Amapá foi a unidade da Federação que apresentou a maior baixa, com o yield em R$ 0,30/km em 2016, índice 17% menor do que em 2015.
    As unidades da Federação que apresentaram alta foram Mato Grosso (R$ 0,3459/km, alta de 12,8%), Minas Gerais (R$ 0,4161/km, alta de 4,7%) e Bahia (R$ 0,3080/km, alta de 1%).
    O estado que apresentou maior valor por quilômetro voado entre todos foi Minas Gerais, com R$ 0,4161/km, e o menor valor foi observado na Paraíba, com R$ 0,2311/km.

[Fonte:   Portal Brasil]
Clique aqui para comentar
Para comentar, você deve estar conectado à uma dessas contas:



Comentários
Os comentários não representam a opinião do Grupo Redesul. A responsabilidade é do autor da mensagem.